Conheça as
nossas unidades
de negócios:

Setor de limpeza profissional mantém crescimento constante

carpet-cleaning-21Estima-se que o mercado de limpeza profissional movimentou, entre 2011 e 2012, entre R$ 17,1 e R$ 17,8 bilhões.

O setor engloba 16.500 empresas entre fabricantes de Máquinas, Descartáveis, Equipamentos e Acessórios, Produtos Químicos e Dosadores, Empresas Distribuidoras e Prestadoras de Serviços.

As estatísticas são do Estudo do Mercado de Limpeza Profissional no Brasil, atualização de 2012, da Associação Brasileira do Mercado de Limpeza Profissional (Abralimp) com realização da Top Marketing Consultores. O Estudo acaba de ser lançado.

O trabalho analisa as tendências e expectativas dos segmentos que fazem parte da limpeza profissional. O mercado classifica de Limpeza Profissional todas as atividades de limpeza interna e externa, exceto a Limpeza Pública e Urbana. Segundo o estudo atualizado, a atividade de limpeza profissional, com seus mais de 760 mil trabalhadores, quando somada aos envolvidos também nos multiserviços oferecidos pelas prestadoras de serviço como Jardinagem, Controle de Acesso, Manutenção Predial, Controle de Pragas, pode ultrapassar a marca de 1,6 milhão de trabalhadores.

 “Em 2012 o crescimento ficou entre 2% a 3%, ligeiramente inferior ao resultado de 2011, o que já era esperado dentro do fato de que acompanhamos o PIB. Mas o dado positivo é que o mercado está evoluindo e se sofisticando. Os tomadores de serviços estão investindo mais na mecanização dos processos e vendo a terceirização com as prestadoras de serviço como gestão estratégica para o seu negócio. O resultado do estudo é positivo frente aos principais problemas enfrentados pelo setor como a escassez de mão de obra e a guerra de preços que atinge fortemente o segmento de prestadoras de serviços e fabricantes e distribuidores de produtos químicos”, avalia Romilton dos Santos, presidente da Abralimp. O presente e o futuro da limpeza profissional serão amplamente discutidos na Higiexpo 2013 e Congresso Higicon, que acontecem de 13 a 15 de agosto, no Expo Center Norte, e representam os maiores eventos do setor da América Latina, reunindo os principais representantes deste mercado.

Evolução do mercado, observando que, em alguns anos, acontecimentos externos ao setor influenciaram estes índices:

 

O valor movimentado está dividido da seguinte forma: 13.20 empresas de serviços de limpeza, com movimento anual de R$ 15,5 a R$ 16,0 bilhões, somente na limpeza ambiental e seus multisserviços; 3.300 fornecedores em geral, com movimento anual de R$ 1,6 a R$ 1,8 bilhão, calculados a preço de fábrica.

Mercado Novo


O setor de limpeza profissional no Brasil é um segmento da economia que ainda pode ser chamado de “novo”. Até o final dos anos 70, a maioria das empresas utilizava uma equipe de limpeza própria, nem sempre seguindo técnicas de limpeza adequadas e equipamentos e produtos de uso profissional. Segundo o estudo, neste mesmo período, aportou no Brasil o conceito de terceirização já conhecido do mercado e que deu um grande impulso ao mercado de produtos e serviços de limpeza profissional.

Este movimento alavancou o aparecimento de um expressivo número de novos fornecedores e, por isso, uma considerável parcela do mercado é composta por empresas com menos de 30 anos de atividade. “É verdade também que existem muitos fornecedores tradicionais de produtos e serviços, que podem ser considerados como os pioneiros do segmento”, ressalta o estudo.

Como a maioria dos outros segmentos da economia nacional, o estudo mostra que o mercado de limpeza profissional está muito concentrado nas Regiões Sul e Sudeste e também no Distrito Federal (80% do mercado). Embora a região Nordeste apresente grande crescimento e desponte como o foco para os próximos anos dado o seu potencial de crescimento.

O mercado não apresenta barreiras de ingresso ou de tecnologia, exceto as naturais barreiras competitivas. “A facilidade de acesso à tecnologia e métodos básicos incentiva o aparecimento de novos fornecedores de produtos, equipamentos e prestadores de serviço”, analisa o estudo. A falta de barreiras de entrada também explica o grande número de limpadoras com menos de 20 funcionários – mais de 8.500, ou quase 70% do total das cerca de 13.200 empresas de limpeza e multiserviços existentes no mercado em 2011 – conforme estudo da Febrac.

O mercado de limpeza profissional deve continuar a crescer no Brasil estimulado pelo movimento de terceirização e, especialmente, pela crescente utilização de produtos e equipamentos de uso profissional. A busca pelo aumento de produtividade por parte das limpadoras, em função da pressão dos tomadores de serviço, também será um estímulo crescente à mecanização fazendo aumentar as vendas de máquinas, equipamentos e acessórios de limpeza profissional. Na área de químicos as perspectivas são positivas diante do endurecimento das legislações e fiscalizações dos órgãos reguladores que ajudarão no combate à pirataria de produtos e fabricação de químicos sem registros.

 Nos segmentos que não utilizam a terceirização, o crescimento deverá ser proporcional ao do PIB nacional, podendo apresentar índices um pouco maiores dependendo do trabalho comercial e da conscientização dos consumidores institucionais e que ainda utilizam produtos de uso doméstico.

Desempenho setorial

O estudo analisa as tendências e expectativas dos segmentos que fazem parte da limpeza profissional:

 Máquinas, Acessórios e Equipamentos de Limpeza:

Estes setores apresentaram os maiores índices de crescimento nos últimos anos, por conta principalmente de dois fatores, ambos ligados às empresas limpadoras, seus maiores clientes.

- A grande troca de contratos entre as limpadoras, especialmente devido à “guerra de preços” causada pela grande concorrência, entre todos os tamanhos de empresas. O sentimento geral entre os prestadores de serviço é que o tamanho do bolo continua o mesmo, está apenas fatiado diferentemente. Assim, a cada novo contrato, novos equipamentos e acessórios são adquiridos, movimentando o segmento.

- Pela mesma razão acima citada e para manter os preços e, consequentemente os custos dos seus contratos, as empresas limpadoras precisaram aumentar os seus índices de produtividade, mecanizando seus processos e utilizando acessórios de limpeza profissionais.

Químicos: 

Aqui a dinâmica foi diferente e contrária. O número crescente de novos fabricantes de químicos também produziu uma “guerra de preços” fazendo com que o segmento apresentasse ao mesmo tempo um crescimento em volume e uma redução no valor médio por quilo/litro, dos produtos vendidos ao mercado. Estes novos concorrentes também entram no mercado tipicamente pelos produtos mais simples como detergentes e limpadores, que possuem preços médios mais baixos. Como este segmento representa mais de 60% do volume total do mercado de fornecedores de produtos para limpeza profissional (excluindo descartáveis, não dimensionados neste estudo), a sua acomodação em valor, reduziu o crescimento total do mercado.

Prestadores de Serviço:

Apesar do crescimento da terceirização e do número total de contratos, o setor tem seu faturamento real estabilizado há 5 ou 6 anos, por conta da continuada pressão nas renegociações contratuais anuais e pela “guerra de preços” mencionada anteriormente, com grande troca de contratos entre as limpadoras. Como o estudo mostra, o sentimento geral entre os prestadores de serviço é que o tamanho do bolo em reais continua o mesmo e está apenas fatiado diferentemente.

O CD com o Estudo está disponível a associados e não associados da Abralimp. Informações pelo www.abralimp.org.br